interiores

E ai meu olho brilhou…por Débora Andreucci

Luz interna, luz externa
Luz natural, luz artificial
Vermelha, azul, branca, amarela
Luz do sol
Ilumina meu dia
Minha alma sorri
Meu olho brilhou
Meia luz
Não tem como não se apaixonar
Feche os olhos e se faz sonhar

[fotos do Pinterest e Miss Moss]

Comente | Categoria(s): arquitetura, interiores

E aí meu olho brilhou…por Débora Andreucci

“Um pouco sobre mim.
Sobre a minha alma.
Sempre gostei de flores.
As flores me dizem tanto.
Quantas histórias interessantes um florista tem para contar? Sou curiosa.Vou perguntar.
Há quem relacione as flores com experiências felizes, e outros com momentos tristes.
Uma rosa, por exemplo, é o presente ideal para alguém que queria fazer sorrir, seja no aniversário,
na comemoração de uma paixão, no nascimento de um filho. Mas também pode ser o símbolo de
uma despedida de alguém que partiu.
É tão sútil a forma como transmitem o melhor dos sentimentos em mim.
Belas cores, cheiros marcantes, texturas intrigantes.
Transformam qualquer dia cinza no mais colorido e feliz dos dias.
Eu me dou flores. Toda semana.
Elas crescem e florescem junto comigo.
Dentro da minha casa, são testemunhas da minha rotina.
Cheguei a uma conclusão.
Além do meu cachorro, e meu marido, elas são minhas melhores ouvintes.
Não há remédio melhor que cure uma tristeza, uma desilusão, um mau humor.
Não há nada melhor do que aliar uma flor a um dia encantador.
As flores são o reflexo do que é verdadeiro.
E uma inspiração eterna para toda a minha vida.”

Estou muito feliz! A Dé é a nova colaboradora do A Pattern e vai postar por aqui imagens inspiradoras de decoração <3 Para quem não conhece esse olhar especial, é ela quem faz, junto às irmãs, o delicioso Inspiration Page!

2 Comentários | Categoria(s): interiores

Pattern Paint Rollers

Quem já pregou papel de parede sabe o sofrimento que é. Daí você entende como eu fiquei enlouquecida com esses rolinhos de estampa. A venda na etsy.

 

The D.I.Y House by Asylum

Asylum criou essa casa feita de fita isolante colorida, faça você mesmo. [via]

Olga Kostina with 30,000 plastic bottle caps

A russa Olga Kostina decorou a sua casa de madeira com tampinhas de plástico. Morri! [via]

São Paulo: CHOU

Não há nada que eu mais ame do que o aconchego de um quintal dos fundos cheio de plantas e luzinhas. Ainda mais no meio de São Paulo! Eu confesso que fui levada até o restaurante CHOU por essa foto acima. E porque o “Where the fuck should I go to eat?” me disse. Mas o que ninguém me disse é que o ambiente é ainda melhor que todas essas fotos, o atendimento é impecável (e que uniforme mais FOFO das garçonetes) e a comidaaaaaaa: nnnhammm!!! Fui aos céus e voltei. Tudo fresco, tudo delicioso. Recomendo super!

 

 

São Paulo: Coffee Lab

Foi a minha amiga Mayra quem me indicou o CoffeeLab, na Rua Fradique Coutinho, 1340. Dá gosto ver tanta paixão transformar uma simples cafeteria em uma verdadeira aula de degustação de cafés (o curso de barista de lá é super recomendado). Escreva nas paredes, entre direto na cozinha para fazer o seu pedido e sente-se entre as árvores para degustar o melhor momento do dia: o do cafezinho. Se quiser também tem abraço grátis, muito amor!

Ikea: A world without textiles

Este vídeo me lembrou a exposição do ano passado da Li Edelkoort: Talking Textile. Como viver sem tecidos?! ;]

Li Edelkoort about Brazil

Quando o escritório em que trabalho foi chamado para palestrar no Congresso de Inovação em Decoração e Design da AMIDE 2012 sobre botânica, em Inhotim, logo sugerimos uma palestrante internacional para entrar na programação: Li Edelkoort. Holandesa radicada na França, Li é uma das maiores autoridades em previsão de tendências e sua principal divulgadora. Ela faz análise de estilo de vida e design para marcas líderes do mundo desde 1992 e suas revistas são altamente influentes nas indústrias criativas.

Eu, que sou fã há tempos, troquei algumas palavras com ela e tiramos uma foto para o blog. Foram duas palestras: sobre a revista bloom – tendências gerais sobre design x botânica – e sobre o design de interiores e as casas do futuro. Li começou falando uma frase que ficou na minha cabeça: “ You must be truly brazilian in order to become global”, ou, você têm que entender muito bem as suas raízes porque elas sim são relevantes no mundo globalizado. Foi esse o ponto de partida para abordar o rico discurso sobre a importância do retorno a valorização do local, do manual, das tradições e do familiar.

Ao final, tive de perguntar: “Então, o que existe no Brasil que é relevante globalmente?”. Li, em resposta ao meu sorriso e maravilhada com sua visita a Inhotim, disse: “A vitalidade; a enlouquecida paleta de cores brasileira; o rico trabalho com materiais como: a cerâmica, a madeira, os minerais e as fibras; e sim, a felicidade. O mundo está em crise, aproveitem o fato de existe em vocês uma alegria interna e transforme-o”.

 

 

 

 

 

 

 

 

Related Posts with Thumbnails